Blog do Jota Parente

sábado, março 16, 2019

Personagem Momo aparece em vídeo de slime e ensina crianças a se matar

Reprodução YouTubeVídeo burla algoritmos de segurança do YouTube Kids e tem assustado pais e filhos
 Um vídeo que parece inofensivo sobre slime, em que uma criança aprende e brinca com a massinha, de uma hora para outra, torna-se um filme de terror. As imagens sobre slime são interrompidas pelo personagem Momo, com cenas que ensinam como as crianças devem fazer para cortar os pulsos. 

O vídeo, que burla os algoritmos de segurança até do próprio YouTube Kids, tem assustado pais e filhos. As imagens circulam em grupos de WhatsApp, na tentativa de chamar a atenção dos pais e adultos. 

As imagens e o discurso da Momo chocaram a socialite Kim Kardashian, que se manifestou, no fim de fevereiro, sobre os vídeos nas redes sociais, cobrando um posicionamento do YouTube Kids. "Cuidado! Isso acabou de ser enviado para mim sobre o que tem sido inserido no YouTube Kids", escreveu Kim. 

O YouTube se manifestou com uma carta, em que conta a história da aparição do boneco e diz: 

"Muitos de vocês compartilharam suas preocupações conosco nos últimos dias sobre o Desafio Momo - prestamos muita atenção nisso. Depois de muita análise, não vimos nenhuma evidência recente de vídeos promovendo o Desafio Momo no YouTube. 

Vídeos incentivando desafios prejudiciais e perigosos são claramente contra nossas políticas, incluindo o desafio Momo. Apesar dos relatos da imprensa sobre esse desafio, não tivemos links recentes sinalizados ou compartilhados conosco do YouTube que violem nossas Diretrizes da comunidade. 

É importante notar que permitimos que os criadores discutam, denunciem ou instruam as pessoas sobre o desafio / personagem Momo no YouTube. Vimos capturas de tela de vídeos e / ou miniaturas com eles [...] Essa imagem não é permitida na aplicação YouTube Kids e disponibilizamos garantias para a excluir do conteúdo no YouTube Kids." 

O YouTube Kids foi lançado em 2016 justamente para atender a demanda dos pais e da sociedade a respeito da segurança do conteúdo destinado às crianças. O aplicativo, porém, seleciona os vídeos através de um algoritmo que, aparentemente, pode ser burlado, resultando em produções impróprias. 

(O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário